Jornal da Escola Secundária José Régio – Vila do Conde
13:20 / 23 - 07 - 2018

Arquivos

Calendário

Julho 2018
S T Q Q S S D
« Jun    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Tradição e inovação nas rendas

O uso das formas tradicionais na elaboração das rendas concilia-se, na perfeição , com novos desafios e novas utilizações, para as quais tem contribuido muito a perspetiva masculina. O entusiasmo dos rapazes é visível, sobretudo quando podem realizar os elementos artísticos do seu gosto. O Sandro é um bom exemplo, na execução do seu “leão” de estimação.

 

 

Rendas e Matemática

Os alunos do 7º B desafiaram a sua professora de Matemática, Carla Carneiro, para a iniciação à renda de bilros. Comprovando a ligação entra a aprendizagem das rendas e a Matemática, a professora, ao fim de alguns minutos, já manipulava os bilros com grande à vontade.

Sermão na srª da Guia

«(…)Já que me não querem ouvir os homens, ouçam-me os peixes. Oh maravilhas do Altíssimo! Oh poderes do que criou o mar e a terra! Começam a ferver as ondas, começam a concorrer os peixes, os grandes, os maiores, os pequenos, e postos todos por sua ordem com as cabeças de fora da água, António pregava e eles ouviam. (…)Isto suposto, quero hoje, à imitação de Santo António, voltar-me da terra ao mar, e já que os homens se não aproveitam, pregar aos peixes. O mar está tão perto que bem me ouvirão. Os demais podem deixar o sermão, pois não é para eles. Maria, quer dizer, Domina maris: «Senhora do mar»; e posto que o assunto seja tão desusado, espero que me não falte com a costumada graça. Ave Maria.»

Estes são alguns excertos da introdução do Sermão de St. António aos Peixes do grande pregador do sec. XVII, Padre António Vieira, que foram proferidos pelo ator Marcelo Lafontana, no local ideal para o efeito: a capela da Srª da Guia, ali mesmo junto ao mar, perante uma audiência constituda pelos alunos das turmas  do 11º da professora  Anabela Romano. Tratou-se de uma sessão particularmente bem conseguida pela localização privilegiada da capela que tem tudo a ver com o conteúdo deste sermão e que, sem dúvida, constitui uma peça de oratória digna de ser ouvida nos nossos dias.

 

 

Festival de Coktails

Durante a Semana Cultural, realizou-se um Festival de Coktails, organizado pelo professor Raul Furtado, no âmbito da formação dos alunos do Curso Técnico de Restauração e Bar.

Rendas e cabelos

Em parceria com a turma 9º CB (Tec. Cabeleireiro), o Clube das rendas está a apresentar penteados com renda de bilros o que tem sido bastante apreciado e constitui uma boa sugestão da sua utilização.

Algumas atividades – SEMANA CULTURAL

Caricaturas das personagens de Os Maias – alunos da turma 11º AV2

 

 

 

 

 

 

Alguns dos  trabalhos da turma de Artes do 12º ano

 

 

 

 

SEMANA CULTURAL – 22 a 26 de abril

Pelo quarto ano consecutivo, a Escola Secundária José Régio de Vila do Conde vai realizar, de 22 a 26 de abril, mais uma Semana Cultural que é, sem dúvida, um dos pontos altos da nossa Escola. Durante quatro dias, esta abrir-se-á à participação de toda a comunidade com atividades lúdicas e laboratoriais, exposições, jogos, música, palestras, colóquios, entre outras. Dinamizadas pela Direção, Departamentos, Associação de Pais e Associação de Estudantes, Biblioteca, Clubes, Professores e Alunos, esta é uma forma de dar a conhecer o conjunto de trabalhos realizados e alargar também a escola ao exterior.

A Semana Cultural será uma forma de quebrar rotinas, de sentir o pulsar e fervilhar de uma escola em movimento e de envolver, de forma mais dinâmica, os alunos e toda a comunidade educativa, solidificando as relações interpessoais. É também uma maneira de provar que “A cultura é tudo o que resta depois de se ter esquecido tudo o que se aprendeu” (Lagerlof, Selma).

 A Coordenadora

Lidia Fernandes

A cultura num copo de água.

Começamos desde cedo a olhar para a beleza das pequenas coisas, do mundo que nos rodeia. Damos importância aos objetos mais supérfluos, mas só encontramos a felicidade no abstrato. Hoje, damos mais importância ao “ter” e desprezamos o “ser”. A cultura não é mais a maior qualidade do ser. Contudo, sem ela, nunca seremos totalmente preenchidos. O conteúdo de todas as coisas. Devíamos adquirir a capacidade de vermos o interior das pequenas coisas a que chamamos de insignificantes. Da arte à música. Literatura sentida e definida numa simples folha de papel. Para mim, o maior culpado da ignorância humana é o mesmo homem, que não se deixa ver para além daquilo que os seus olhos se predispõem a mostrar. Compreendo, e aceito, que nem todos temos as mesmas oportunidades de ensino. Mas cultura não se aprende. Cultura entranha-se em nós como um estranho que não queremos deixar partir. Mesmo sendo ele estranho. Se a escola nos educa e nos dá a possibilidade de um futuro largamente promissor, é a cultura que nos define como seres de morfologia independente. Esta entrelaça-se com os valores humanos e dizem aos outros aquilo que representamos para o mundo.

      Se somos influenciados por tudo o que nos rodeia, deixem-nos viciar por esta cultura indomável para vermos a beleza das espécies mais insignificantes. Procuremos a cultura em tudo o que é pequenino. Estou certo de que encontremos cultura num copo de água.

João Paulo Maio, 10º LH3

Flores de Renda de Bilros

Os alunos de rendas de bilros têm contribuído com o seu trabalho na manufactura de pétalas para a formação de flores.  Com a intenção de dinamizar e divulgar este trabalho, podem os professores adquirir para ofertas na escola e a preço simbólico, estes ramos,bastando para isso falar com o Sr. Diretor.

 
 
Alguns dias durante as férias da Páscoa, os alunos continuaram a procurar a escola. O desafio lançado foi a crise e, como tal, coloquei os alunos a fazerem raminhos para oferecer aos padrinhos. Foi interessante ver o empenho e a motivação em virem à escola. 
A professora
Teresa Pimenta

SEMANA DA LEITURA

No dia 12 de Março de 2013, pelas 9.30h, aconteceu Leitura no ginásio. Tratou-se de uma actividade integrada na Semana da Leitura, em que se pretendia que se criasse um momento de leitura coletiva silenciosa em ambiente de sala de aula.

Assim, foi colocado em lugar visível um texto de Rui ZinK sobre o Mar,  e  procedeu-se à sua leitura acompanhada  por um fundo musical e  coreografada por dois dançarinos, os professores da escola Frei João, Pedro Carvalho e Flora Rodrigues  que se associaram a esta iniciativa. Previamente a coordenadora da Biblioteca lembrou às cinco turmas presentes a importância da leitura. Foi um momento de grande beleza e concentração que a todos  sensibilizou.

 

Naquela época eu tinha medo do silêncio e não percebia que não havia mal nenhum em ficar em silêncio a meio de uma conversa, ou mesmo em não ha-ver conversa entre duas pessoas que vão lado a la-do. O silêncio é como o mar. Envolve-nos, e pode submergir-nos, se não soubermos lidar com ele, mas pode também embalar-nos, se perdermos o medo e nos deixarmos ir. Em ambos, mar e silêncio, nada pior do que esbracejar de pânico.

Rui Zink

[Portugal, 1961]

Ó mar salgado, quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos, quantas mães choraram, Quantos filhos em vão rezaram! Quantas noivas ficaram por casar Para que fosses nosso, ó mar! Valeu a pena? Tudo vale a pena Se a alma não é pequena. Quem quer passar além do Bojador Tem que passar além da dor. Deus ao mar o perigo e o abismo deu, Mas nele é que espelhou o céu.

Fernando Pessoa

[Portugal, 1888-1935]

Mar

Metade da minha alma é feita de maresia.

Mar

De todos os cantos do mundo Amo com um amor mais forte e mais profundo Aquela praia extasiada e nua, Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

(…) Espero sempre por ti o dia inteiro, Quando na praia sobe, de cinza e oiro, O nevoeiro E há em todas as coisas o agoiro De uma fantástica vinda. As ondas quebravam uma a uma Eu estava só com a areia e com a espuma Do mar que cantava só para mim.

Sophia de Mello Breyner Andersen

[Portugal,1919-2004]

 

TORNEIO DE XADREZ E DAMAS

Realizou-se no passado dia 1 de Março de 2013, sexta-feira, o Torneio de Xadrez e Damas, na sala 211. Teve uma forte adesão dos alunos da nossa escola. Os trinta alunos que participaram receberam prémios e diplomas de participação.

 

Os vencedores foram os seguintes:
Torneio de Damas – 1º  – Fernando Reis -12ºSE1
2º – Renato Moreira, 12ºSE1
3º – Rodrigo Areal, 12ºSE1

4º- Nelson Silva, 7ºB

Torneio de Xadrez – 1º – António Alves – 8ºB
2º- Rodrigo Areal, 12ºSE1
3º – Sara Oliveira, 12ºSE1

4º Fernando Reis,  12ºSE1

 

 

 Page 21 of 23  « First  ... « 19  20  21  22  23 »